quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Vulcão dos Capelinhos

Li hoje que passam 50 anos do início das erupções do Vulcão dos Capelinhos.
Em 27 de Setembro de 1957, na ilha do Faial, freguesia do Capelo, a cerca de 300 metros da ponta dos Capelinhos, pelas 06,45 horas, ocorreu a primeira erupção submarina.

(a imagem reporta acontecimentos posteriores a 27-09-1957)

Faço um post sobre o Vulcão dos Capelinhos porque já lá fui e adorei.
Quando era pequeno, numas férias de Verão, fui com os meus pais aos Açores.
Visitámos 4 ilhas, Terceira, Faial, Pico e S. Miguel.
No Faial, obrigatoriamente (mas com muitíssimo prazer) fomos ao Vulcão dos Capelinhos. É de facto um local fantástico. Também fomos ao Museu do Vulcão dos Capelinhos, a visita é obrigatória.

Na altura, deram-me uma fotografia, tamanho A3, que era uma vista aérea sobre o Vulcão dos Capelinhos, ainda a tenho em casa.
Nos últimos escritos que li sobre o Vulcão dos Capelinhos, falava-se sobre a rápida erosão, que fez perder, nos últimos 50 anos, dois terços dos 2,4 quilómetros iniciais de cinzas.

Para se saber mais e ver excelentes fotografias é ir ao site comemorativo do 50º aniversário.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

O Natal começa em Setembro

Estava a tomar o meu café matinal, quando um homenzinho vestido de azul, pergunta à dona do café se podia fazer dois furos na parede do edifício. Disse ele, que era para as iluminações de Natal.

Já na rua, depois de tomar o café e de ler o JN, reparei na camioneta azul (da empresa Castros, de Espinho, empresa que se dedica, entre outras coisas, às iluminações de Natal ), no homem empoleirado no poste e pensei:

"O Natal começa em Setembro"

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Portugal dos Pequenitos e Imaginaruim

Em Coimbra, além da afamada faculdade, há um parque muito famoso do outro lado do rio Mondego.
Falo do Portugal dos Pequenitos.
São muitas as casas, ou melhor dizendo, as casinhas ali edificadas, que reproduzem as típicas casas portuguesas, e alguns dos mais importantes monumentos nacionais.
Teve a sua origem numa ideia de Bissaya Barreto, o projecto foi do famoso arquitecto Cassiano Barreto, tendo sido inaugurado em Junho de 1940.
Poucas são as pessoas que nunca visitaram este espaço, que foi sofrendo alterações com o decorrer dos anos.
No que a mim diz respeito, já perdi a conta às vezes andei a correr no meio daquelas casinhas todas.
A última vez, foi no passado sábado, dia 15 de Setembro de 2007.
O bilhete de entrada custou 7 euros (adulto), parece-me ser um preço elevado.
O que já venho a notar ao longo das minhas visitas ao Portugal dos Pequenitos, é a degradação do espaço. Há casinhas que precisavam de obras de conservação, o parque infantil tem algumas peças danificadas.
Apesar de tudo é sempre agradável visitar o espaço.
Mas passemos ao motivo deste post.
De tantas vezes que fui ao Portugal dos Pequenitos, só no sábado é que me apercebi de um plágio arquitectónico.
Após a entrada, antes de chegar ao mapa-mundo onde constam as rotas quinhentistas dos grandes navegadores portugueses, do lado direito tem os monumentos da Madeira.
Observem a fotografia:


E agora observem esta fotografia:



Aperceberam-se de alguma coisa? Olhem bem para as portas.

Uma grande e ao lado outra pequena.

Então a Imaginarium anda a copiar as entradas!!! Isto é plágio arquitectónico.

As coisas que vejo/imagino. Tenho mesmo uma mente artística.



terça-feira, 18 de setembro de 2007

FURACÃO R

Hoje vamos ter uma sessão de cinema.
A Menina R gosta muito de brincar com plasticina, um dia, estávamos a brincar (eu a fazer, a Menina R a desfazer) quando numa das minhas invenções com a plasticina, fiz uma ilha com uma palmeira no centro.
Modéstia aparte, ficou muito bem. Fui logo tirar uma fotografia com o meu maravilhoso K750.

É de facto uma maravilhosa obra de arte. Podemos ver a palmeira alta e imponente, a praia com a areia amarela e o mar, a laranja. É mesmo uma ilha tropical.
Mas, e há sempre um mas. Tirei uma fotografia, ia a tirar a segunda, quando , o inevitável aconteceu. A menina R estragou a minha ilha. Na segunda fotografia aparece a mão da menina R prestes a destruir a ilha.

Mas não desanimei, pois já sabia o destino que a ilha ia ter. Antes pelo contrário, ao ver as imagens no K750, as ideias começaram logo a fervilhar. Porque não fazer um filme utilizando o K750?!

Comecei logo a fazer o filme, um texto aqui, uma imagem ali, a música de fundo e já está. Num instante fiz o meu primeiro filme utilizando o, também, maravilhoso K750.

Mais uma vez, há sempre um mas. Por distracção minha, as duas imagens ficaram na horizontal. Só reparei, depois de ter feito o filme todo, ainda pensei fazer a correcção, mas decidi que não. Não vou fazer nenhum Director's Cut, vai ficar assim.

É ligar as colunas e apreciar esta obra prima da sétima arte:

video

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Gillette e os 3 anos

À uns tempos comprei creme de barbear da Gillette.



Uma manhã, estava calmamente a tentar fazer a barba (porque eu não faço a barba, tento fazer a barba), quando reparo num pormenor da embalagem.

"NÃO UTILIZAR EM CRIANÇAS COM IDADE INFERIOR A 3 ANOS"

PERGUNTA: mas agora as crianças também fazem barba?

Pelos vistos, apartir dos 3 anos, se utilizar creme de barbear da Gillette, já se pode fazer barba.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Pocoyo - o proferido da menina R

Depois de vos fazer a introdução ao Pocoyo, é altura de dizer qual é o boneco preferido da menina R.
A menina R gosta de todas as personagens, mas acho que tem uma preferência pela Dorminhoca.
Quando vê o genérico, fica toda contente quando chega a parte da Dorminhoca.
Posto isto, aqui fica um episódio em que a Dorminhoca tem um papel fundamental, é o nascimento do filho da Dorminhoca.
Neste episódio não entra a Lula.

Pocoyo

Já estou para escrever este post a algum tempo.
Alguns meses atrás, no 2º canal da RTP, ao início da manhã (7h30), havia um programa chamado Pocoyo.

Eram uns bonecos engraçados, que a menina R começou logo por gostar, e eu também. São simples e educativos(algo difícil de se ver hoje em dia nos programas para as crianças).

Passemos às apresentações:


(fui eu que inseri as bolas com as letras e o nome em cima, estou a ficar um perito em Photoshop)

Sigamos a ordem alfabética:

A - Lula, é um cão que gosta muito de brincar.


B - Pato, como o nome diz, é um pato. Às vezes passa-se da cabeça. Tem corpo de contorsionista, há episódios em que o bico ou o pescoço fazem coisas que nem os contorsionistas sonham.


C - Pocoyo, é a personagem principal. Gosta de brincar e, por vezes, através das atitudes que ele tem, o episódio ensina as crianças a partilhar, a perdoar entre outras coisas.


D - Elie, é uma elefante. Também gosta de brincar e de passear numa trotinete.


E - Dorminhoca, é uma ave. Passa os episódios a dormir. Além dormir, só gosta de dormir. Houve um episódio em que nasceu o filho da Dorminhoca, e é precisamente o oposto dela. Não pára quieto um momento.

Há mais personagens mas são secundárias, num outro post faço as apresentações. E também há uns veículos utilizados, mas ficam também para um posterior post.


sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Para quem gosta de SURF

No início, a onda, não parece ser nada de especial, mas depois...

Só para quem gosta de surf => EU

Bom fim de semana.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Luciano Pavarotti

O dia acordou com uma triste notícia. O falecimento de Luciano Pavarottti.
Para mim, o melhor tenor do mundo.

Aqui fica uma das minhas interpretações preferidas de Luciano Pavarotti.
(ver e ouvir esta interpretação, numa sala escura, com uma televisão grande de qualidade e com umas colunas ainda melhores, deve ser algo divinal)

terça-feira, 4 de setembro de 2007

RED VULL deu-te asas

RED VULL DEU-TE ASAS

Ir ver os maluquinhos das máquinas voadoras? Não, tenho mais que fazer.

Na passada sexta feira, estava eu no meu local de trabalho, e só ouvia o barulho dos aviões. Mas o barulho que ouvia era diferente. Mais potente.

Fui à janela ver e de facto, era barulho de AVIÕES, não de avionetas acelaradas com aditivo de Red Bull.

Aqui ficam algumas fotografias que tirei:







No domingo, pela primeira vez, desde que o tabuleiro superior da Ponte D. Luís ficou exclusivo para o Metro, passei a ponte a pé. No rio Douro, já só havia aquela barcaça onde estiveram os mecos da corrida aérea da Red Bull.




RED VULL deu-te asas.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Meia Hora

Mais um.
Mais um jornal gratuito.
Chama-se Meia Hora.
Em Campanhã, como habitualmente, ia apanhar o Destak, quando vejo ao lado o Meia Hora.
Trouxe os dois. Comecei por desfolhar o Meia Hora, afinal, jornal novo tem prioridade.
Depois de uma leitura rápida, mas atenta, posso dizer que gostei do jornal.
Agradou-me a disposição das notícias, do tipo de letra, as fotografias (tem bastantes) são a cores.
As notícias foram escritas em português simples, de fácil leitura.
Alguma publicidade nas páginas junto com as notícias, mas a prioridade é dada às notícias.
Como primeira impressão, e em comparação com os outros dois diários gratuitos que costumo ler, este agrada-me mais.

Só um pequeno senão. O fecho da edição do jornal. Por exemplo, no desporto, a classificação da 1ª divisão de futebol. Ainda aparecia o F.C. Porto com 2 jogos, enquanto no Destak já aparecia com os 3 jogos. Um pequeno senão, mais nada.