quinta-feira, 29 de maio de 2014

As verdades



- Sabes Rosário, tudo isto que estás a ver foi o meu filho que fez. - Disse a Margarida com uma voz plena de orgulho.
- Fez?!! Mas o quê?? – Respondeu com um tom de voz de quem não percebeu nada.
- Tudo o que vês neste jardim, a relva, as árvores, este caminho, as pessoas, a Torre dos Clérigos, tudo. - Disse ainda mais orgulhosa a Margarida.
- Estás a brincar comigo. Como é isso possível? - Bastante incrédula perguntou a Rosário.
- Sabes, a Câmara Municipal do Porto encomendou ao meu filho a reestruturação deste jardim e ele, ainda se ofereceu para construir uma nova Torre dos Clérigos, já que a original foi vendida aos chineses. – encheu os pulmões e de rajada disse – Este caminho foi feito com escamas de peixe, colou-as uma a uma. A relva do jardim são palitos que ele pintou de verde e enterrou-os na terra, um a um. Mas fez de uma forma, que quando está vento, eles ondulam. As oliveiras, são vassouras de varrer que ele, com um canivete, moldou-as até ganharem aquela forma. As pessoas que vês no jardim são feitas com pasta de papel, mas por dentro tem um elaborado sistema de engrenagens que permite o movimento delas, comportam-se como se fossem mesmo pessoas de verdade. Este candeeiro à nossa beira, foi feito com fósforos, colou-os um a um, de noite acende, pois ele apanhou pirilampos e colocou-os em vez da lâmpada. Mas o que eu mais gosto é da Torre dos Clérigos. Foi toda feita com legos. Ainda se vê o guindaste que lhe chegava os legos quando ele estava lá em cima quase a acabar a torre.

Era notória a emoção na sua voz, parecia mesmo que estava a falar do melhor filho do mundo. Já a sua amiga Rosário, com inveja ou não, não partilhava do mesmo sentimento.
- Sabes Rosário, o teu filho também não te disse que aquela namorada toda escultural que ele tem, era uma boneca insuflável que ele adaptou?

terça-feira, 27 de maio de 2014

Trilogia das velas - I

Aqui está a primeira vela desta trilogia.

domingo, 25 de maio de 2014

10


Já passaram dez anos, mas parece que ainda foi na semana passada.
(fotografia que concorri à capa da revista Flinpo nº 10)

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Porta e afins 81 - Porta do exercício mental

Porta do exercício mental
Rua Formosa, 60, Porto.
Desta vez apresento uma porta para vocês pensarem no que nela vêem. Um exercício tipo dos testes psicotécnicos. 
Eu consigo ver uma cara. 
Dois olhos, o da direita tem uma pala virada para cima e uma boca.
Também vejo um sinal (abaixo da boca), certamente para imitar a Catarina Furtado, a Sílvia Alberto, ou a inconfundível Marilyn Monroe.
E a vossa mente, também é assim tão perturbada?

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Porta e afins 80 - Porta das vítimas

Porta das vítimas
Porta dos adeptos da equipa visitante, Estádio do Dragão.
 Tive um pequeno deslize de linguagem no outro dia, espero que com esta porta esteja devidamente perdoado.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Mais, mais e mais uma - o final da trilogia

E assim termino a trilogia da tulipa.
Só falta referir que a tulipa foi uma das prendas que a Menina R ofereceu à mãe na festa do dia da mãe do ATL.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Crescendo

Talvez seja mais correcto dizer diminuindo, visto que estas torres estão no estádio do Dragão.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Mais, mais uma

Continuando a mostrar florzinhas, aqui fica a tulipa colorida.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Porta e afins 79 - Porta do futuro

Porta do futuro
Rua da Estação, 123, Porto. 
O que é isso de futuro lugar? 
Se é futuro, significa que teve passado, mas para ser um futuro lugar é porque o passado não foi bom. E o futuro, desta vez será bom ou ocorrerá um novo retorno ao passado para depois ser novamente um futuro lugar? 
Se é futuro, significa ...

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Mais uma

Mais uma florzinha, neste caso uma tulipa.
Outras se seguirão.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Porta e afins 78 - Porta dos almanaques

Porta dos almanaques
Casa Hortícola, Mercado do Bolhão, Porto.
Na esquina da Rua Sá da Bandeira com a Rua Formosa, inserido no edifício do Mercado do Bolhão, mas virado para o exterior, existe a Casa Hortícola. Foi fundada em 1921 e dedica-se ao comércio de sementes e bolbos. 
Na porta, temos a leitura essencial de qualquer agricultor que se preze em ter esse nome. Os almanaques O Seringador  e Borda d'Água.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Sabedoria de Mestre


Depois de um treino de captação de talentos para a equipa de futebol lá do bairro, o José (chamemos assim ao pobre do miúdo com aspirações a CR7) foi logo ter com o treinador:
- Mestre, então? Acha que tenho jeito para o futebol?
- Já te disse que Mestre é para os filmes de Kung Fu, no futebol, tratas-me por Mister. Olha José. - disse o Mister, pondo-lhe a mão no ombro e virando-o para a baliza - Estás a ver este carreio? É este o teu caminho.
- É Mister ?!?! - disse o José (chamemos assim ao pobre do miúdo com aspirações a CR7), com os olhos cheios de alegria. - Acha que tenho futuro e vou ser um atacante?
O Mister primeiro olhou para o José (chamemos assim ao pobre do miúdo com aspirações a CR7), depois olhou para o caminho e disse-lhe:
- É este o teu caminho. É o caminho que deves seguir. Vai e não olhes para trás. Tu não tens nenhum jeito.