terça-feira, 30 de setembro de 2014

As modernices



- Então Leonor, gostas? disse ele todo contente. De todos os mosteiros, igrejas, catedrais e capelas é este o meu eleito.

- Olha Fernando - disse ela com uma voz menos contente do que a dele – Se queres casar comigo, tudo bem. Se queres casar aqui no Mosteiro de Leça do Balio, tudo bem. Se queres casar no próximo dia 15 de Maio de 1372, que assim seja. Mas fica já a saber, no dia do casamento, se aqueles carros ali em baixo à direita ainda lá estiverem, recuso-me a casar. Ainda pode vir alguém a querer anular o casamento alegando modernices do século XX.

Yashica Mat 124G
Ilford FP4 Plus 125
f/11
1/250 s
Mosteiro de Leça do Balio, 31-07-2014

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Porta e afins 90 - Porta da Feira Medieval

Porta da feira medieval de Santa Maria da Feira
Santa Maria da Feira, Feira Medieval

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Já na festa

Depois de estarmos na festa, tivemos de experimentar a roda gigante.

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Vamos à festa

Já vamos um bocadito atrasados. Foi no S. João, no Jardim da Praça Mouzinho de Albuquerque (Rotunda da Boavista).
Ainda se podem ver umas luzes da roda gigante que esteve no Rock in Rio este ano.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Porta e afins 89 - Portão do garrafão


Portão do garrafão
Gondomar

Será que o garrafão está ali para uma pessoa se servir gratuitamente?
Será que o garrafão, apesar de branco, é para vinho tinto? 

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Girafas no Porto


 Rua Dr. Ricardo Jorge, Porto

A reserva natural de girafas citadinas do Porto é um autêntico sucesso. Para além de se ter expandido por várias zonas da cidade, é notório que as girafas e os portuenses estão perfeitamente integrados.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Jogo da sueca com 3 bancos

Será possível jogar à sueca com três pessoas? Mas só há três cadeiras. 
Poderá uma alma caridosa informar-me de algum jogo que possa ser jogado com três pessoas?

domingo, 7 de setembro de 2014

Remus petrificado e a lenda.

Ultimamente tem circulado na net a lenda do Remus petrificado ( aqui e também aqui).
Eu próprio quis acreditar que essa lenda fosse verdadeira, pois assim certamente que deixaria de ter tantas dores de cotovelo por causa dos seus pontos de vistas.
Mas, temos de ser realistas, será que aquela lenda reflecte a verdade? 
Será que, excluindo estas pessoas, alguém viu o Remus em carne e osso?
Não há nenhum relato, quer escrito, quer falado, que descreva essa tal personagem
Assim, de lápis e papel, percorri todos os continentes deste planeta, subi às mais altas montanhas, desci aos abismos mais profundos e pedi a todas as pessoas que encontrei, que me descrevessem como seria o Remus.
Recolhidos esses importantes testemunhos, elaborei uma fórmula matemática e baseado no resultado, posso concluir que é assim que o Remus é imaginado pelas pessoas deste planeta: 

(o facto de ele estar sentado no penico, deve ter sido devido a algum arredondamento na introdução dos dados na fórmula)

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A saga continua



Este anos, cada disciplina tem um caderno colorido. Ainda falta encadernar.
Azul escuro - Matemática; Azul claro - Ciências; Verde - Inglês; Laranja - História e Rosa - Língua Portuguesa.

A fotografia ficou escura, mas atento o desgastante frete que ia ter, não tive paciência para ir buscar um candeeiro para obter melhor iluminação.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

O que dá não fazer um crop

O Homem, esse ser que tanto gosta de conquistar e ultrapassar obstáculos, por vezes tende a esquecer que os seus actos podem estragar aquilo que é belo.
Vejamos esta encosta. 
Aquela linha de transporte de energia eléctrica (canto superior esquerdo), certamente que é muito útil, mas estraga a paisagem e a fotografia. 
Podia fazer um crop e o problema estava resolvido.
Tem toda a razão, mas o meu objectivo com esta fotografia é chamar-vos à atenção para aquele ser destruidor que somos.
Um destes dias, para contrabalançar, coloco uma fotografia a demonstrar o ser maravilhoso que somos, quando não estamos a destruir.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O dia especial





- Então hoje sempre é o dia especial? – perguntou ela, num misto de alegria e satisfação.

- É verdade, finalmente chegou o dia. Estava ansioso que ele chega-se. – disse ele, não conseguindo esconder o nervosismo que lhe assolava o corpo.

- Foi um longo percurso, mas ouvi dizer que houve uns percalços, umas confusões pelo meio. É verdade? – a curiosidade feminina está sempre presente, não importando se faz lembrar tristes acontecimentos.

- Isso são águas passadas. É verdade que uma vez fui parar aos braços de uma turista francesa. Não sei o que sucedeu, foi tão rápido. Quando dei por mim... Nem me quero lembrar disso. O que interessa é que é hoje, é agora. – disse-lhe ele meio envergonhado.

- Explicas-me porquê? Porque é que andas-te este tempo todo, sempre a subir e descer as escadas do Mercado do Bolhão só para que alguém tirasse-te uma fotografia? 


Yashica Mat 124G
Kodak Tri X 400
f/11
1/500 s
Mercado do Bolhão, 11-06-2014